Bike de carbono ou alumínio?

Bike de carbono ou alumínio?

Seja para locomoção diária, lazer ou até treinamento de alta performance, conheça os prós e contras de cada material para o quadro da sua próxima bicicleta.

O frameset (quadro + garfo) ou apenas o quadro, é a alma da bicicleta. Esse importantíssimo componente liga todos os outros itens e  juntos formam uma máquina coesa, a bicicleta. Muita gente esquece desse importante detalhe e afirma que o mais importante em uma bike é o Grupo (câmbios, freios, pedivela, corrente, coroa e cassete …). O quadro é a maior identidade de qualquer bike, seja ele para montar uma bicicleta de lazer ou alto rendimento. Sem ele, a bicicleta não é nada, apenas um amontoado de componentes sem vida. Portanto, não é surpresa que para escolher uma bicicleta correta para a sua necessidade, acertar na escolha de um quadro correto é fundamental. E  quando se trata deste componente, o material com o qual o quadro foi produzido, é muito  importante. O quadro de carbono é mais leve, porém, normalmente é mais caro. O quadro de alumínio é mais pesado e o seu preço mais acessível. Claro, existem exceções para os dois lados. E aí qual modelo encaixa melhor na sua magrela? 

Carbono ou Alumínio – prós e contras 

Sem muitas delongas, a Fibra de  Carbono é o  material mais leve que você vai encontrar hoje no mercado de bicicletas. Mas, o carbono possui outras características positivas além do baixo peso. A matéria prima utilizada para obter as fibras de carbono, são o polímero de poliacrilonitrila, que é obtido a partir da polimerização de uma variação do acrílico. 

A fibra de carbono é um material nobre, que entrega além da leveza, uma boa rigidez, favorecendo em curvas, subidas e sprints. Outra característica deste material é a sua excelente absorção de impactos, já que a fibra de carbono pode ser trabalhada para ter ambas propriedades, aqui as vibrações causadas pelas inúmeras imperfeições do terreno são dispersadas, não passando tantas trepidações para o ciclista, dessa forma o quadro trabalha como uma “segunda suspensão”.

Mas nem tudo são flores, quadros em carbono possuem diversas propriedades positivas, mas tendem a ser mais caros que o alumínio e possuem uma limitação de peso menor (peso total: bike + ciclista), lógico que essa diferença de limitação varia de modelo para modelo, existem quadros de carbono com uma grande robustez, que aguentam muitos impactos e um limite de peso maior. Sempre é bom verificar com o fabricante esse detalhe. Outro ponto, é que o carbono pode sofrer mais com fadigas que o alumínio, então em longo prazo (entenda como anos), a fibra de carbono pode sofrer trincas, que também podem surgir por meio de quedas mais pesadas.

Já o alumínio é um material bem mais barato, e não pode ser trabalhado da mesma forma que o carbono, no sentido de rigidez e principalmente na absorção de impacto, porém existem diversos quadros de topo de linha de alumínio que podem ser bem leves, lógico que isso também tem seu preço.

Seja qual for a sua opção, tenha zelo com o seu equipamento e lembre-se: use capacete e sinalize suas ações em cima da bicicleta antecipadamente. Bora pedalar!

Veja também

2 comentários sobre “Bike de carbono ou alumínio?

Comentários estão encerrado.